segunda-feira, 23 de março de 2015

As Artes Marciais

Escrito pelo Diretor do Grupo Projetar Roberto Guimarães.

As artes são formas de expressão,através das quais podemos entrar em contato com nossos conteúdos emocionais. Toda arte se utiliza de uma ferramenta principal que permite o indivíduo plasmar esses conteúdos e perceber suas cargas, seus pesos. A pintura utiliza-sede pincéis e telas, a escultura da lapidação que dá forma aos objetos, a música da combinação de sons e ritmos que se harmonizam, a poesia das palavras arranjadas em versos, e assim por diante. O interessante é notar que as obras,apesar de muitas vezes serem percebidas somente por um de nossos sentidos, tocam-nos de forma profunda e abrangente. Por exemplo, ao admirarmos uma pintura de um cenário, podemos percebê-la não somente pela visão, mas pelos aromas, pelos gostos e por muitas outras características que, mesmo não estando presentes,são resultados de associações que fazemos com o nosso conteúdo interno, as nossas lembranças de vivências anteriores ou as fantasias que criamos sobre as coisas. Dessa forma, podemos dizer que as artes nos oferecem mais do que conteúdos objetivos, e que os conteúdos subjetivos que transparecem variam de acordo com o observador.
Assim são as artes marciais. Diferentemente do que muitos podem imaginar, essas disciplinas, se ensinadas deforma tradicional e por professores qualificados, não são formas de estímulo à violência.
No passado eram sim sistemas de luta necessários à sobrevivência do indivíduo e que o fortaleciam para o confronto em guerras. Ao longo do tempo,porém, se desenvolveram e se tornaram muito mais do que um compilado de técnicas agressivas. As artes marciais são hoje uma forma de expressão, e a ferramenta da qual se utilizam para atingir esse objetivo é o movimento. O intuito é promover a espontaneidade e a melhoria estética (não a estética corporal,mas a dos movimentos), fazendo com que a sucessão desses movimentos componha uma obra de arte que representa fielmente o indivíduo em sua totalidade.
Esse método é composto de inúmeras etapas. Por exemplo, através das técnicas ensinadas nas aulas, o indivíduo aprende sobre o seu corpo e melhora sua capacidade de se movimentar, tanto quanto à amplitude dos movimentos, quanto à força, agilidade, e principalmente controle. Percebe que para que uma técnica seja executada de forma adequada,faz-se necessária a interação de todos os seus membros. Entende que precisa se movimentar de forma harmônica para manter o equilíbrio e projetar seus golpes com firmeza. Aprende então que o corpo é um só, e que as suas partes precisam trabalhar em conjunto para atingir determinados objetivos. Essa noção se expande quando começa a praticar exercícios em duplas, conforme se desenvolve nos aspectos técnicos.
Ao iniciar a interação com outros indivíduos, se depara com inúmeros aspectos emocionais resultantes dos desafios que esse contato promove. Para a correta aplicação dos golpes, precisa perceber o desequilíbrio que tais aspectos geram. Além disso, precisa considerar outras questões, como o ritmo, as distâncias entre os corpos, e etc. Passa a perceber que, por melhores que sejam suas técnicas, necessita restabelecer o equilíbrio interno para que tenha bons resultados.
Após diversos tipos de treinamentos,físicos, estéticos e rítmicos, começam os combates, livres ou controlados.Esses são os mais importantes para esse trabalho de desenvolvimento interno,como explicaremos a fundo adiante, pois o combate é uma situação de conflito,na qual o aluno se encontra sob pressão e não dispõe de tempo para raciocinar sobre como resolver a situação. Essa pressão faz com que reaja imediatamente com as ferramentas que compõem a sua personalidade, as que já estão internalizadas, e pode então contatá-las profundamente.  
Com os anos de prática, o aluno começa a modificar sua forma de se movimentar e de combater, e, portanto,modifica a sua forma de enfrentar o conflito, se sentindo cada vez mais capaz para lidar com tais situações, já que com o avançar dos graus dispõe de um acervo maior e com mais possibilidades. Muda então sua atitude, e essa nova atitude passa a ser aplicada nos mais diversos conflitos, afetando todas as frentes de sua vida.
Além de tudo isso, as artes marciais ainda melhoram a qualidade de vida do praticante, que, com o corpo emente mais saudáveis, reduz a sua exposição ao estresse e a outros males da vida moderna.
É importante salientar que essas melhorias não acontecerão se as práticas não forem corretamente direcionadas por professores conhecedores desses processos. Muitos indivíduos, atualmente, atingem o grau de faixa preta apenas como forma de destaque ou para poderem competir em categorias representativas nos campeonatos, deixando de lado o interesse em transmitir o conhecimento, em efetivamente se tornarem professores. Outros se dispõem a dar aulas apenas com o enfoque no esporte ou com base na impressão pessoal que possuem das artes marciais, sem a base de conhecimentos pedagógicos.E dessa forma, infelizmente, muitas artes marciais estão sendo reduzidas a sistemas de combate, nas quais os alunos buscam somente os aspectos práticos e funcionais da modalidade. Esses aspectos devem ser sim aprimorados e praticados entre aqueles que dedicam suas vidas a campeonatos, porém deixam de ter sentido para aqueles que não seguem esse caminho.
As artes marciais são muito mais do que apenas sistemas: são as vias pelas quais um indivíduo pode se realizar,se desenvolver e fazer a diferença em um mundo no qual a indiferença já se tornou aspecto social comum. Somente vivenciando esse caminho de forma plena podemos nos tornar guerreiros virtuosos e entender o real significado da palavra DO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Filmes e Séries: www.i9vadore.com.br

Seguir por E-mail:

Todas as imagens utilizadas nos artigos foram extraídas do Google Imagens